o-que-e-psicoterapia
Psicoterapia, valioso recurso frente às dificuldades
setembro 18, 2016
Depressão, causas, sintomas e tratamento
maio 15, 2017

Alguns cuidados na escolha de um psicólogo

escolha-de-um-p_17479410_69648089d085932c142adbcd1784601a8b5d7b4e

O que considerar na escolha de um psicólogo?

Em um mundo em meio a tantas mudanças e exigências, onde o medo, as inseguranças e dificuldades em tratar de questões do dia a dia crescem cada vez mais, muitas pessoas tem buscado a terapia como técnica para alargar as possibilidades de enfrentamento destes problemas. No entanto, é comum as pessoas terem dificuldades em escolher um profissional para tratar de assuntos tão pessoais.

Ao procurar ajuda de um profissional, independentemente da forma como se chega até ele,  a qualidade da relação criada no primeiro encontro é de fundamental importância.

Esta relação demanda confiabilidade e confortabilidade, mas que só é possível conhecer depois de experimentada.

Além disso, é importante que outros fatores sejam levados em consideração, como:

Habilitação e CRP

  • O profissional deve ser graduado em Psicologia em Psicologia e habilitado pelo Conselho Regional de Psicologia (CRP) para exercer a função.
  • A habilitação dá o direito de o profissional atuar em diversas áreas, como por exemplo, na clínica, na saúde, na organizacional, na educacional, na hospitalar, do esporte, forense.
  • O CRP tem a finalidade de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão de psicólogo, de acordo com o estabelecido na Lei Federal n° 5.766, de 20 de dezembro de 1971.

Condições técnicas e profissionais

  • O psicólogo deve ter condições técnicas para trabalhar o conteúdo escutado.
  • O profissional deve acolher com segurança.
  • O terapeuta deve ter consciência crítica capaz de dialogar com empatia.
  • A interferência do psicólogo deve fazer sentido, favorecendo para que o paciente adquira autonomia na solução dos problemas, na elucidação das ideias e na lida das ocorrências diárias.
  • A mediação do psicólogo deve ajudar no desenvolvimento do autoconhecimento, na autopercepção, aumentando o equilíbrio do eu e o bem-estar emocional.
  • O clima oferecido pelo terapeuta deve ser amistoso, dotado de calor humano, com a colaboração de um diálogo produtivo, de significado genuíno, do respeito pelo silêncio como reflexão e processo de elaboração interna.

Ética

  • O psicólogo deve proteger a integridade de seu paciente através do sigilo.
  • A prestação dos serviços deve ser realizada com dignidade.
  • O profissional deve assumir responsabilidades somente por atividades as quais esteja capacitado pessoal, teórica e tecnicamente.
  • O valor estipulado pelo profissional deverá ser de acordo com as características da atividade e comunicado ao paciente antes do início do trabalho a ser realizado.
  • O Código de Ética Profissional deve ser respeitado independentemente da forma de trabalho do psicólogo.
  • A postura do profissional deve ser de respeito pela condição humana e sem julgamentos e ou críticas.

Segundo Elza Dutra, a prática clínica representa muito mais uma postura do que a aplicação de teorias e técnicas psicológicas. Saiba mais.

Olhar para o conjunto de todos estes fatores, proporciona ao paciente maior probabilidade de acerto na escolha de um bom psicoterapeuta.

Concluo dizendo que a relação entre psicoterapeuta e paciente é o ponto central de um processo psicoterápico. Ela deverá ter um vínculo profissional permeado de afeto, com uma relação dual, onde o paciente tem a função de agente colaborador do tratamento que deve ser dirigido pelo psicólogo.

Cuide de seu interior.  As mudanças positivas fortalecem nosso equilíbrio emocional.

Marcia Chacon, Psicóloga Clínica – CRP 06/34288.

Caso tenha interesse em conhecer meu trabalho, agende sua primeira consulta gratuitamente, através do fone: whatsapp – 98624-7035 – Atendimento em Santo André